A Verdade Sobre Seus Dados do WhatsApp


📅

Por que houve uma reação negativa esta semana ao WhatsApp, e o que, se alguma coisa, mudou.
Houve uma reação ao WhatsApp nos últimos dias depois que ele postou o que parece ser revisado pelas políticas de privacidade. Deixe-me tentar esclarecer o que aconteceu.
Algumas pessoas pensam que o aplicativo de mensagens agora forçará aqueles que o usam a entregar seus dados pessoais ao Facebook, que possui o WhatsApp.
Isso não está certo.
As políticas do WhatsApp mudaram cosmeticamente e não de maneiras que forneçam mais dados ao Facebook. A conclusão é que o Facebook já coleta muitas informações do que as pessoas fazem no WhatsApp.
A confusão foi o resultado das comunicações confusas do Facebook, da desconfiança da empresa e das leis de proteção de dados quebradas da América.
Veja o que mudou com o WhatsApp e o que não mudou:
O Facebook comprou o WhatsApp em 2014 e, desde 2016, quase todos que usam o aplicativo de mensagens têm compartilhado (geralmente sem saber) informações sobre sua atividade com o Facebook.
O Facebook sabe os números de telefone que estão sendo usados, com que frequência o aplicativo é aberto, a resolução da tela do dispositivo, a localização estimada a partir da conexão com a Internet e muito mais, como meu colega Kashmir Hill explicou há cinco anos.
O Facebook usa essas informações para garantir que o WhatsApp funcione corretamente e para ajudar uma empresa de calçados a mostrar um anúncio no Facebook.
O Facebook não pode observar o conteúdo de mensagens de texto ou telefonemas porque as comunicações do WhatsApp estão embaralhados. O Facebook também diz que não mantém registros sobre quem as pessoas estão entrando em contato no WhatsApp, e os contatos do WhatsApp não são compartilhados com o Facebook. (Este artigo com fio também é útil.)
O WhatsApp tem muitos pontos positivos. É fácil de usar e as comunicações no aplicativo são seguras. Mas sim, o WhatsApp é o Facebook, uma empresa em que muitos não confiam.
Existem alternativas, incluindo Signal e Telegram — ambas com uma onda de novos usuários recentemente. O grupo de privacidade digital Electronic Frontier Foundation diz que Signal e WhatsApp são boas opções para a maioria das pessoas. O Wall Street Journal também percorreu os prós e contras de vários aplicativos de mensagens populares.
A razão pela qual o WhatsApp notificou recentemente os usuários do aplicativo sobre as regras de privacidade revisadas é que o Facebook está tentando fazer do WhatsApp um lugar para conversar com uma companhia aérea sobre um voo perdido, procurar bolsas e pagar por coisas.
As políticas do WhatsApp mudaram para refletir a possibilidade de transações comerciais envolvendo a mistura de atividades entre os aplicativos do Facebook — uma bolsa que você navega no WhatsApp pode aparecer mais tarde no seu aplicativo do Instagram, por exemplo.
Infelizmente, o WhatsApp fez um trabalho terrível explicando o que havia de novo em sua política de privacidade. Levei para mim e Kash, uma estrela do rock de privacidade de dados, uma boa quantidade de relatórios para entender.
Eu também quero abordar razões mais profundas para os mal-entendidos.
Primeiro, esta é uma ressaca da história do Facebook de ser arrogante com nossos dados pessoais e imprudente com a forma como eles são usados pela empresa ou seus parceiros. Não é de admirar que as pessoas assumissem que o Facebook mudou as políticas do WhatsApp de maneiras sangrentas.
Em segundo lugar, as pessoas entenderam que as políticas de privacidade são confusas, e nós realmente não temos poder para fazer com que as empresas coletem menos dados.
“Este é o problema com a natureza da lei de privacidade nos Estados Unidos,” disse Kash. “Desde que eles digam que estão fazendo isso em uma política que você provavelmente não lê, eles podem fazer o que quiserem.”
Isso significa que os serviços digitais, incluindo o WhatsApp, nos dão uma escolha desagradável. Ou desistimos do controle sobre o que acontece com nossas informações pessoais ou não usamos o serviço. É isso aí.
Limpando mais confusão no WhatsApp
Outra falsa crença flutuando sobre o WhatsApp — e novamente, isso é culpa do WhatsApp, não sua — é que o aplicativo está apenas removendo uma opção para as pessoas se recusarem a compartilhar seus dados do WhatsApp com o Facebook.
Não está certo.
Sim, quando o Facebook fez grandes mudanças nas políticas de privacidade do WhatsApp em 2016, houve um breve momento de escolha. As pessoas podem marcar uma caixa para pedir que o Facebook não use seus dados do WhatsApp para fins comerciais.
O Facebook ainda coletaria os dados dos usuários do WhatsApp, como expliquei acima, mas a empresa não usaria os dados para “melhorar seus anúncios e experiências com produtos”, como fazer recomendações de amigos.
Mas essa opção no WhatsApp existiu por apenas 30 dias em 2016. Isso foi há uma vida inteira em anos digitais, e aproximadamente quatro milhões de escândalos de dados do Facebook atrás.
Para quem começou a usar o WhatsApp desde 2016 — e são muitas pessoas — o Facebook vem coletando muitas informações sem a opção de recusar.
“Muitas pessoas não sabiam disso até agora,” disse-me Gennie Gebhart, da Electronic Frontier Foundation. E, ela disse, não somos culpados.
Entender o que acontece com nossos dados digitais parece que requer treinamento avançado em ciência da computação e um diploma em direito. E o Facebook, uma empresa com muito dinheiro e um valor de ações de mais de US$700 bilhões, não explicou ou não conseguiu explicar o que estava acontecendo de uma maneira que as pessoas pudessem entender.
___
Por: Shira Ovide
Tradução: Apple Inc.
Fonte: New York Times

🏷