O Clubhouse Está Gravando Suas Conversas e esse nem é o pior problema de privacidade


📅

A nova e popular plataforma de mídia social está coletando mais dados do que você imagina.
O Clubhouse foi feito perfeitamente para a pandemia. As pessoas não estão saindo e estão desesperadamente procurando conexões sociais e entretenimento. O aplicativo fornece ambos de uma maneira, enquanto capitaliza o sorteio de influenciadores de celebridades na plataforma.
Também é construído sobre uma das estratégias mais eficazes para gerar buzz e emoção – escassez. Para se juntar ao Clubhouse, você precisa ter um convite de alguém que já é membro. Não só isso, quem o convidar tem que ter seu número de telefone e dar ao Clubhouse acesso aos contatos do iPhone. Sem acesso, sem convites.
Do ponto de vista comercial, certamente faz sentido que o Clubhouse esteja adotando essa abordagem. Construir um gráfico social do zero é muito difícil, e exigir que os usuários carreguem sua lista de contatos é a maneira mais eficaz de determinar conexões.
Há um problema, no entanto. Como sempre, o problema se resume a descobrir o equilíbrio certo entre proteger a privacidade do usuário e o uso de dados para fornecer a melhor experiência tanto para o usuário quanto para a empresa por trás do aplicativo.
Nesse sentido, vale a pena considerar que o Clubhouse tem algumas políticas que não são exatamente amigáveis à privacidade. Pior ainda é o fato de que você tem que fazer um pouco de escavação para até entender o que essas políticas realmente são. Entrei em contato com o Clubhouse várias vezes, mas não recebi imediatamente uma resposta às minhas perguntas sobre como ele usa dados.
1. O Clubhouse está gravando seu áudio.
Uma das “características” do Clubhouse é que ele é efêmero. Você não pode ouvi-lo mais tarde, ou mesmo pausar a sala em que está. Você tem que aparecer ao vivo para participar da experiência. Isso é uma coisa que o diferencia dos podcasts, digamos, que são gravados e podem ser ouvidos a qualquer momento. Você nem consegue gravar conversas no Clubhouse.
Mas o Clubhouse pode, e faz, gravar o que você diz. A política de privacidade do aplicativo diz que os quartos do Clubhouse são gravados:
Apenas com a finalidade de apoiar as investigações de incidentes, gravamos temporariamente o áudio em uma sala enquanto a sala está ao vivo. Se um usuário denunciar uma violação de Confiança e Segurança enquanto a sala estiver ativa, reteremos o áudio para fins de investigação do incidente e, em seguida, excluímo-lo quando a investigação estiver concluída. Se nenhum incidente for relatado em uma sala, excluiremos a gravação temporária de áudio quando a sala terminar.
Isso significa que, se alguém relatar um problema, tudo o que aconteceu na sala é gravado e salvo. E o Clubhouse não está claro sobre o que acontece com ele, além de dizer que está salvo para permitir que a empresa faça uma determinação. Não diz quem pode ouvi-lo, ou em que condições.
2. Você não pode excluir informações que outras pessoas compartilham sobre você.
Mesmo que você não tenha criado uma conta, se alguém que você conhece tiver, há uma boa chance de o Clubhouse já ter seu número de telefone. Isso porque o aplicativo exige que os usuários carreguem todo o banco de dados de contatos para enviar convites. Você pode convidar apenas alguém que esteja em seus contatos, e isso não inclui nenhuma capacidade de compartilhar apenas contatos específicos. É tudo ou nada.
Além disso, os membros compartilham não apenas sua lista de contatos, mas, se conectarem seus perfis de mídia social, essas informações também são coletadas. O Clubhouse diz especificamente que quando você “cria sua conta e/ou se autentica com um serviço de terceiros como o Twitter, podemos coletar, armazenar e atualizar periodicamente informações associadas a essa conta de terceiros, como suas listas de amigos ou seguidores”.
E se, digamos, você não tiver nenhum interesse no Clubhouse? Ainda não há mecanismo para excluir nenhuma informação pessoal sobre você, seja essa informação coletada através de um número de telefone ou através de outras redes sociais como Twitter ou Instagram.
3. Você não pode simplesmente excluir sua conta.
Na verdade, mesmo que você tenha uma conta, não pode excluí-la sem enviar um e-mail para uma conta de suporte. Não há opção em nenhum lugar do aplicativo para excluir sua conta, e também não há instruções sobre o que fazer se você quiser excluí-la. Você precisa enviar um e-mail para “[email protected]” para solicitar que sua conta seja cancelada e esperar que alguém aja.
4. Ele pode compartilhar suas informações pessoais sem notificá-lo.
Uma das maiores questões em torno do Clubhouse é como ele pretende eventualmente ganhar dinheiro. Olhando através da política de privacidade, é claro que ela provavelmente envolverá alguma forma de publicidade ou sistema de patrocínio. Para se preparar para isso, o Clubhouse está deixando claro que “pode compartilhar Dados Pessoais com nossas afiliadas atuais e futuras”.
Tudo bem, mas essa mesma seção deixa claro que o Clubhouse “pode compartilhar as categorias de Dados Pessoais descritas acima sem aviso prévio”. Isso significa que você não tem o direito de saber que suas informações pessoais coletadas pelo Clubhouse agora estão sendo usadas fora do Clubhouse.
5. O Clubhouse está rastreando você.
A política de privacidade diz que usa cookies, pixels e tecnologias de rastreamento para monitorar o que você faz dentro do Clubhouse e na web, mesmo que atualmente não esteja monetizando o aplicativo. Isso é confirmado pela política de privacidade, bem como pelo monitoramento de tráfego, que mostra que ele usa ferramentas de rastreamento e análise de atividades para entender o que você está fazendo com o aplicativo.
A política de privacidade da empresa também diz explicitamente:
Podemos compartilhar Dados de Identificação e Dados de Atividade na Internet com plataformas de mídia social e outros parceiros de publicidade que usarão essas informações para veicular anúncios direcionados em plataformas de mídia social e outros sites de terceiros — sob certos regulamentos, esse compartilhamento pode ser considerado uma “venda” de Dados Pessoais.
Parece bastante claro que o Clubhouse está se preparando para monetizar a plataforma que está construindo. Isso é justo – toda empresa deve ter um plano para ganhar dinheiro. Se esse plano inclui monetizar a atividade e os dados de seus usuários, acho que todos podemos concordar que ele deve ser direto e transparente sobre esse fato.
—-
Por: JASON ATEN
Tradução: Apple Inc.
Fonte: Inc

🏷