Apps de e-mail: O bom, o mau e o feio


📅

O app é o Spark Mail. Um dos apps de e-mail mais renomados, cheio de recursos, integrações e atualizações do momento. A desenvolvedora por trás do Spark é a famigerada Readdle, que possui os apps:

Mas o post se aplica à quase todos os outros apps de e-mail.

O Bom

O app é excelente em sua construção. Rápido, relativamente leve, quando comparado aos concorrentes, cheio de recursos e integrações com serviços de nuvem, alguns recursos dedicados para o público empresarial e muito mais.

O Spark também possui inteligência em identificar o tipo de e-mail recebido e já categorizá-lo pra você, se newsletter, email pessoal (vindo de pessoas), spam, e afins.

O app também permite a definição de templates, o que pode ser uma mão na roda quando você costuma mandar e-mails iguais com frequência.

O Mau

Bem, este não é um post patrocinado e por mais que o app seja um dos melhores, há criticas à fazer, e pode ser ainda pior mais abaixo.

De todos os testes que já fiz, o Spark foi o que apresentou algumas limitações e falhas perante aos concorrentes. A primeira delas é a lentidão no sincronismo de mensagens, sempre foi o último a notificar uma chegada de e-mail, além de não permitir a personalização do som de notificação, isto é, ou usa o som deles, que é um tanto quanto ruim, ou usa a opção “do sistema”, porém, esta opção não é a do Mail, mas do Mensagens, ou seja, corre-se o risco de receber um e-mail e não visualizar por pensar ser um SMS. Também é ruim em sua pré-visualização de e-mails na tela de bloqueio.

Sempre bom lembrar que o app recebe várias atualizações ao longo do ano, o que significa que esses problemas podem ser corrigidos brevemente, entretanto, já não tenho tanta esperança assim quanto à mudança do som de notificação.

O Feio

Agora que já dei uma breve introdução de Bom e Mau do app, chegamos no que eu queria realmente contar à vocês. Este post é feito em 14 de Janeiro de 2022 e eu já não uso o Spark há, pelo menos, 2 anos. É importante salientar que o uso do App foi intermitente e eu não imaginava a quantidade de dados que um app de e-mail poderia coletar.

Fazendo bom uso da GDPR, solicitei ao DPO da Readdle que me enviasse os dados que obtinham de mim antes de solicitar a exclusão, e o que vou compartilhar abaixo, são trechos de um arquivo chamado “exported-2.json” e que, com certeza, se você usa o Spark, também fornece esses e mais dados à Readdle.

Envio dos contatos à Readdle

É claro que não publicarei (com censura) a lista dos contatos, mas todos os meus contatos da minha agenda foram enviados à Readdle. Isso, teoricamente, não é uma invasão de privacidade ou uma coleta indevida.

O primeiro ponto a se levantar é que o app pediu permissão de acesso aos meus contatos, consequentemente o iOS colocou um popup na tela perguntando se eu deixaria o Spark Mail acessar meus contatos e eu permiti.

Talvez uma questão que nunca fica clara é que os dados são, de fato, enviados à empresa e não que ele teria um acesso “offline” sempre que fosse necessário o uso.

Outros dados

Enfim, contatos sincronizados, é a hora de ver o que ele coleta quando uso o app.

Identificação de registro no serviço e quais apps da Readdle instalados no Smartphone

E a cada dia, a cada abertura do app, um novo registro e novo armazenamento

Coleta de dados: Abertura de e-mail, ação dentro do e-mail.

Uma imagem vale mais que 1000 palavras

Coleta de cliques, abertura, quantidade de contatos e mais

Os anos passaram e a coleta de dados aprimorou-se

Agora a coleta tem data, hora, geolocalização e idioma

Pra fechar, 2020

Em 2020 a coleta ficou ainda mais detalhada

Espero que este post não tenha te desencorajado a usar os serviços da Readdle. O intuito é alertas que as empresas coletam dados e com o passar do tempo a coleta fica cada vez mais aprimorada.

Isso quer dizer que devemos selecionar melhor com quem compartilharmos nossos dados e não trocá-los por qualquer novo app gratuito que apareceu agora.

A Readdle não possui histórico de compartilhamento dos dados ou venda deles, segue sendo uma excelente empresa para se confiar (até o momento).

Dica

Não dê permissão à tudo o que um app pede, leia o popup e considere se é necessário ou não. Não há motivos para um app de e-mail ter acesso à sua geolocalização, ou ao seu bluetooth, por exemplo. Mas talvez haja para a câmera, para que possa anexar uma foto ao e-mail diretamente pelo e-mail. O melhor dos mundos é não conceder as permissões e se precisar enviar uma foto, saia do app, abra a camera, tire a foto e anexe posteriormente. Se precisar informar o local, digite, e por aí vai.

Essas são maneiras de diminuir a coleta de dados realizada pelos serviços.

Importante

Como não uso GMAIL, não pude trazer mais detalhes, mas já é sabido que a Google lê todos os seus e-mails, rascunhos, enviados, SPAMs, para que a I.A te ofereça atalhos na digitação “adivinhando” o que você vai escrever.