Na Europa, os principais operadores de rede testam uma nova maneira de rastrear usuários, sem cookies


📅

pexels-photo-230325.jpeg
Photo by Lisa Fotios on Pexels.com

Os principais provedores de telecomunicações da Europa, Vodafone e Deutsche Telekom, estão testando uma nova ferramenta de rastreamento que pode potencialmente substituir cookies de terceiros. Embora o antigo método de rastreamento dependa do armazenamento de impressões de sites no dispositivo, uma nova ferramenta chamada TrustPid permite que os provedores de serviços armazenem todos os dados. Com o TrustPid, as operadoras atribuem “tokens pseudoanônimos” aos usuários com base em seus endereços IP.

Se os operadores do site, famintos de dados do usuário devido à eliminação gradual de cookies de terceiros, quiserem saber mais sobre os visitantes, eles podem acessar esse identificador e personalizar anúncios. Embora os sites possam não ser capazes de identificar usuários individuais, os operadores de rede podem facilmente fazê-lo.

A TrustPid afirma que o mecanismo é “amigável à privacidade”, mas já está sendo comparado a um código de rastreamento controverso conhecido como “supercookie”. Ao contrário de um cookie comum, que pode ser limpo e bloqueado, um “supercookie” não pode, já que não está armazenado no dispositivo. A Verizon foi multada nos EUA em 2016 por plantar “supercookies” nas solicitações do navegador dos usuários sem consentimento. A Vodafone diz que o TrustPid não é um “supercookie” e está em conformidade com o GDPR.

Este é outro daqueles casos em que as empresas de tecnologia estão tentando contornar as restrições de rastreamento sob o pretexto de proteger a privacidade.

Com o desaparecimento iminente de cookies de terceiros, as empresas estão tentando compensar a perda de receita de publicidade, criando novas maneiras de coletar dados do usuário. Vemos as empresas competindo para serem as primeiras a adotar novas tecnologias de rastreamento, conquistando assim uma fatia do mercado de anúncios. A ironia é que eles retratam sua busca pelo dinheiro dos anúncios como algo que beneficiará os usuários.

Enquanto isso no Brasil, vemos avisos/banners de cookies em sites que nem os tem ㄟ(ツ)ㄏ , tudo para ficar ’em conformidade’ com a LGPD.